quarta-feira, 11 de novembro de 2020

VIDA NO INTERIOR: Como é o lazer por aqui?



Ah, tem coisa melhor do que sair do trabalho na sexta-feira? Meu Deus, é tão libertador não é mesmo? Depois de uma semana de muito trabalho, horas extras, pressões e tudo mais do que você pode imaginar finalmente você vai ganhar uns dias de descanso. 

Em um grande centro você já pode começar a se preparar para algum festival de música, visitar um shooping center e ir no cinema ou mesmo andar de bicicleta em um maravilho parque urbano enquanto respira a saudável poluição de uma metrópole. E no interior? Bom, o interior é sempre vendido como um lugar pacato, onde a coisa mais interessante a se fazer é sentar na calçada de casa e apreciar os pássaros enquanto conversa com seus vizinhos. 

Bom, na prática tem muita coisa pra se fazer nas horas vagas por aqui! Listei algumas das gratificantes atividades que você pode fazer por aqui nos finais de semana:

Você pode ir em um posto de combustível. Os postos são os points da maioria das cidadezinhas, todas tem um posto que serve de aglomeração dos jovens nos finais de semana. 
No geral, o que as pessoas fazem lá? Bom, vai todo mundo pro posto na sexta e sábado a noite, o negócio consiste em simplesmente estacionar o carro, colocar o som pra tocar um sertanejo e ficar lá. Os filhos dos barões das cidades costumam encostar suas S-10 ou Hilux, mas se você é apenas mais um qualquer de classe média é bom ter uma Fiat Strada ou VW Salveiro pra encostar por lá com um som bom. Ok, conseguiu o carro? Ótimo! O próximo passo é tudo mundo sentar na porta do compartimento de carga e ficar lá bebendo cerveja (ou tereré/chimarão se for de dia). As gurias da cidade vão encostar por lá no posto e quem sabe você não se enlaça com alguma.

Se você quer um programa pro sábado ou domingo a tarde também temos algumas opções:

Que tal passar algumas horas nas famosas "prainhas" ou cachoeiras? Bom, se você mora no interior eu tenho 100% de certeza que você não mora a mais do que uma hora de uma boa cachoeira ou uma praia de rio. Esse é o tipo de programa que bomba no verão.

No caso das cidades com praias de rio, é quase certo que também terá um clube náutico ou condomínio fechado próximo ao rio, normalmente a galera das elites da cidade vão ter uma casa ou serão sócios dos clubes, essas cidades são bem concorridas, a galera das grandes cidades do interior costumam também ir pra lá aos finais de semana e fica tudo bem lotado de lanchas. Mas e se você só for mais um cara qualquer? Também pode ir pra lá. Talvez, a diferença entre você e o pessoal mais rico é que você terá que pagar um barquinho ou lancha que faça o serviço de transporte para a prainha, isso pois as praias não costumam ficar na beira do rio próxima a cidade, normalmente elas ficam fora da rota de estradas e pelo menos alguns quilômetros de um povoado.

As cachoeiras são ambientes que podem ser mais democráticos ou não, muitas cidades já comercializam esses ambientes, como elas costumam ficar dentro de propriedades privas é comum os donos cobrarem algum tipo de ingresso para entrar lá e ir até a cachoeira. O negócio é igual a prainha, mas no normalmente é só a galera da cidade mesmo ou alguns turistas aventureiros que aparecem por lá.

Independente de se é a praia ou cachoeira é bom você levar de casa: a barraca, as cadeiras, a comida e a bebida, em poucas praias existem esse tipo de estrutura, pois como falamos de praias de rios é impossível você construir uma estrutura fixa, pois o rio sobe durante a cheia. No caso das cachoeiras é mais impossível ainda, elas ficam sempre no meio da mata fechada e por questões logísticas e legais não dá pra sair construindo por ali.

Se você quiser também pode ir para pescar, aqui mesmo na minha cidade a pescaria é uma verdadeira febre. Na temporada de pesca os rios ficam cheios de barcos do pessoal que acampa o final de semana inteiro, eu confesso que não sou fã da experiência, mas tem quem goste. Infelizmente, você não vai pegar tantos peixes como imagina.

Não gosta de água? Bom, algumas cidades tem opções de hotéis fazendas ou turismo ecológico. Isso nem sempre é comum, mas também garanto que se você procurar consegue encontrar opções bacanas que poderá ir de carro no final de semana com sua cremosa(o) e relaxar. Esses hotéis são bem aquele conceito de interior, normalmente próximo a áreas de conservação, dão opções de trilhas, andar a cavalo, comida caseira, hospedagem normalmente em chalés (o que dá um pouco mais de privacidade) e tem uma piscina pra você curtir. Tem sempre uma galera que combina de ir em grupo nesses hotéis, passa-se o final de semana com a galera, faz um churrasco legal e dormem no mesmo chalé (que são projetadas para comportar bastante gente).

OS FESTIVAIS!

Em cidades de forte colonização europeia é muito comum algum festival temático daquela cultura, então sempre tem uma festa italiana, alemã ou eslava pra você participar na região. Muitas vezes relacionada com a época de colheita ou o santo padroeiro. Quem organiza normalmente é a prefeitura, a Igreja, a associação de produtores rurais ou de tradições.

A programação depende muito da cidade, normalmente elas duram uns 3 ou 4 dias, mas tem cidades que a programação é para a semana inteira. Tem um festival de culinária para você provar as comidas típicas da cultura ou da região, tem danças tradicionais, algumas tem rodeios, outras tem leilões de animais e competições de criadores de vacas leiteiras, almoços no domingo e o que é certo é que terá música e muito show. Em algumas cidades a cultura é muito forte e os guris e gurias vão vestidos com roupas típicas, mas em muitas delas é só o pessoal mais velho ou que é da organização/exposição que usa roupas tradicionais e você pode aparecer lá vestido igual vai pra alguma saideira em São Paulo que ninguém vai achar você escroto.

O ambiente é muito saudável, se você tem família pode levar seus filhos para participar sem medo nenhum, não costuma ter violência (talvez um ou outro bêbado cause alguma confusão, mas é raro e a polícia sempre tira o cidadão da festa na hora), as crianças podem curtir o parquinho e se divertir, é muito familiar. Se você é solteiro(a) e quer curtição também é uma boa pedida, ainda mais os shows que são o ponto alto, muitos são de música tradicional mas cada vez mais as baladinhas ganham espaço e é uma excelente oportunidade pra quem sabe deslocar alguma ficada ou até um namoro? O negócio ferve! O que é certo é que a cidade inteira vai participar e você poderá conhecer todo mundo! Além disso, junta a galera da região e é aí que você faz bastante amizade com o pessoal e que te chama pras festas nas cidades deles. 

A regra aqui no interior é você ter CARRO pra poder curtir um pouco de lazer! Eu sei que aqui na firesfera muita gente critica a posse do carro e trata ele como passivo financeiro, e sim ele é isso mesmo! O problema é que NÃO EXISTE TRANSPORTE PÚBLICO no interior. NÃO EXISTE! Então se você não tem carro vai acabar não conseguindo ir em muitos desses lugares, e como aqui também não existe motel rsrsrs' ;)

Agora se você não curte festivais tradicionais, praia de rio, cachoeira, pescarias, saideiras no posto de gasolina, bom é melhor ficar aí na sua metrópole mesmo do que se aventurar por essas bandas do interior.

Viva o interior! 
-
Se alguém possui alguma dúvida sobre algum aspecto do cotidiano no interior é só escrever um comentário que eu respondo.

57 comentários:

  1. Como bom cidadão do interior de SP... Ah, a natureza é o que há de bom para curtir, cachoeiras, fazendas, pousadas e tudo mais....

    Belo post, Poupador!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também gosto bastante da natureza.

      Não conheço muito cidades grandes, mas as que conheço não me agradaram muito por conta da "selva de pedra" e os espaços verdes me passaram uma sensação de fake.

      Abraços,
      Pi.

      Excluir
    2. Falando nisso, gosto bastante da grande são paulo, muita coisa boa a turistar e muitos negócios a se fazer! Mas morar lá, não dá pra mim também, gosto do clima do interior, gosto do verde sem a sensação fake... Abraços, PI!

      Excluir
    3. One, os dois lados tem suas vantagens e desvantagens.

      Conheci a capital do meu estado por alguns dias em mais de uma ocasião, confesso que a facilidade de serviços e a sensação de anonimato me impressionam. Ao mesmo tempo é tudo muito artificial e frio.

      É uma questão de prioridades, eu gosto do mesclado por isso prefiro cidades na faixa de 200k-500k, infelizmente ainda moro em uma "microcidade" menos populosa que qualquer bairro de São Paulo.

      Abraços,
      Pi

      Excluir
  2. Já morei em cidade grande e moro a anos em cidade pequena menos de 10k/hab.

    Pra mim a vida em cidade muito pequena tem várias desvantagens. Acho o que muitos pensam a respeito uma grande "matrix".
    Tem pessoas querendo se "esconder" em cidade pequena, sendo que nas pequenas cidade é onde se fica mais exposto.
    E quando digo a exposto, me refiro à fofocas, curiosidade das pessoas, maledicências e por aí vai.

    Lazer na cidade pequena e na grande é basicamente a mesma coisa, frequentar bares, pancadões de com (onde e quando tem), frequentar casas noturnas (nas cidades que tem), enfim basicamente encher o cú de álcool ouvindo música ruim.
    Ou churrascos em casa, enchendo o cú de álcool e ouvndo música ruim.
    Basicamente o mesmo que ocorre em qualquer periferia de grandes centros.
    O pessoa que tem melhores condições financeiras vai em casas noturnas da região com estrutura similar a locais de cidades maiores, ou dependendo da região vão as cidades maiores para sair da rotina de vez em quando.

    Pescaria e lazeres focados no meio rural são mais voltados a homens de meia idade pra cima.
    A única atividade de lazer rural que a maioria dos jovens fazem são churrascos ou festas em associações ouvindo música ruim e enchendo o cú de álcool.
    OBS: Pra quem ainda acredita que as mulheres dos pequenos rincões do Brasil são totalmente diferentes das dos grandes centros urbanos já aviso:
    Tem muita mulher que bebe muito por aqui e se você quiser acompanhar ou chegar numa mulher dessa e não beber na mesma pegada pode perder pontos, é bom já ficar sabendo.

    Basicamente lazer = álcool. Logicamente tem o pessoal que frequenta igrejas e o pessoal que gosta de praticar um esporte como futebol por exemplo.
    Esses muitas vezes tem um perfil um pouco diferente. Mas não há muita diferença entre um peladeiro de uma grande cidade, ou de uma cidade pequena.
    Não há muita diferença entre um frequentador de igreja de cidade grande ou pequena.
    A grande diferença que citou em seu texto e é verdade é a menor poluição.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Complementando. Tem cidade que como citado no texto tem festas de Peão e festas temáticas (mais pro sul, especialmente Santa Catarina), essas festas de fato atraem famílias e tem um ambiente mais diversificado.
      Tem cidades que não tem praticamente nada, varia de cidade e região.

      Se for a alguma cidadezinha com o objetivo de abordar mulheres, é bom tomar cuidado pra não ir chegando em qualquer uma, principalmente em eventos noturno pra arrumar briga e levar uma pau de quem você não conhece não precisa muito, ainda mais se perceberem que você é "estranho" no local, ainda mais se estiver sozinho.

      Fiz esse comentário grande num contraponto ao post do Poupador pra mostrar o outro lado, menos romântico, mas mais real.
      E salientar que no meu ponto de vista as diferenças comportamentais entre grandes e pequenas cidades no fim das contas não são tão grandes assim.
      Se tornam maiores caso a pessoa viva na zona rural.

      Excluir
    2. Anônimo,

      Obrigado pelo excelente comentário!

      SOBRE PESSOAS QUERENDO SE "ESCONDER" EM CIDADE PEQUENA:

      Concordo com você. Em cidade pequena se chega uma pessoa de fora isso desperta muito a atenção das pessoas, os comerciantes sabem quem é da cidade e quem não é e se você é de fora é natural que os vizinhos e todo mundo queira saber sobre você.
      Algumas pessoas sonham em conseguir o FIRE ou apenas se aposentarem e ir pras cidadezinhas do Sul, em um mito de vida sossegada, anônima e segura. Não é bem assim, viver sem trabalhar em cidade pequena vai chamar muito a atenção das pessoas e logo elas vão perceber o que tá realmente acontecendo e o risco de segurança passa a ser significativo.
      Tem muita gente boa em cidade pequena, mas tem gente com intenções não tão boas.

      Você mencionou pancadões e casas noturnas, na minha região isso não tem nas cidades pequenas (menos de 15k habitantes). Os bares eu nem mencionei nos posts, pois isso é algo comum do cotidiano em cidades pequenas e grandes.

      Sobre o pessoal com melhor condição financeira ir pras cidades maiores nos finais de semana pra festar, é verdade.

      Pescaria eu concordo que normalmente seja um pessoal mais velho, mas conheço muito pescador na faixa dos 25-30 anos de idade.
      Sobre esse turismo no meio rural ser coisa de gente mais velha, não concordo. Se levarmos em conta prainhas e cachoeiras por aqui pelo menos 80% são dos jovens entre 15-30 anos.

      Sobre o futebol, aqui onde moro normalmente o pessoal joga mais durante a semana do que no final de semana.

      Sobre as festas temáticas, se eu olhar para as 10 ou 12 cidades mais próximas da minha, em 100% delas tem algum tipo de festa temática. Claro, é apenas uma por ano, mas todas elas tem.

      Sobre "Abordar Mulheres", eu não quis e não quero focar muito nesse tipo de assunto, pois infelizmente acaba atraindo um público que eu não tenho interesse de escrever para eles no meu blog. Mas resumindo de maneira rápida:

      As mulheres aqui são iguais as de cidade grande, mas tem muito incel que idealiza mulheres de interior. Você mencionou e muito bem mencionado que pra se meter em confusão por causa de mulher é muito fácil no interior, no geral o pessoal vai perceber que você é de fora e se der encima da mulher errada, você vai levar um pau.

      O que acho mais engraçado é que tinha uma galera na blogosfera que achava que mulher no interior vai se interessar por um cara só porque ele é de São Paulo (SP) ou outra capital e elas são do interior. Em que mundo esse povo vive? Ninguém acha incrível ser de cidade grande, meu Deus, estamos em 2020 e alguns acham que é 1980.

      Abraços,
      PI.

      Excluir
    3. Que bom que entendeu meu comentário PI.
      Os "pancadões" que mencionem na verdade são encontros de carros cheios de caixas de som, eventos que tem em algumas cidades e atraem algum público. majoritariamente de jovens.
      Festas temáticas na região onde moro são poucas, o que há mais aqui são os rodeios e exposições agropecuárias. Festas temáticas são mais comuns em Santa Catarina.
      Na região onde moro tem cachoeira, porém não atrai tanto público, tem um local alto que virou point pro pessoal tirar fotos e colocar no Instagram, não é cheio, mas atrai bastante jovens.
      Turismo rural propriamente dito não existe aqui e pelo que já conheci de outros lugares do Brasil, não é um tipo de turismo tão popular na maior parte do país.

      Fui criado em cidade grande e muita gente idealiza demais a vida no interior de forma ingênua e infantil até.
      Da mesma forma que no passado parte dos interioranos talvez tenham idealizado a vida nas grandes cidades.
      Na fim o Brasil e suas regiões é todo estereotipado pelos próprios brasileiros e poucos conhecem bem o Brasil.
      No Youtube é possível encontrar alguns vídeos e comentários na mesma pegada dos comentários que você descreveu da blogsfera. Muita gente crente num interior matuto onde todos são amigos e vivem alegremente e em paz.
      E digo por vivência própria que a realidade é bem diferente, tem gente boa aqui, mas tem gente ruim também, tem alcoolismo, drogas e todo tipo de problema que tem nos grandes centros, por isso e outros motivos sustento a opinião de o estilo de vida de ambos os locais são muito similares.

      Excluir
    4. Mas pra finalizar, por em cidades muito pequenas os grupos sociais serem basicamente sempre os mesmos.
      Os empregos e empregadores serem os mesmos, pela pouca rotatividade e oportunidades de desenvolvimento, pelas fofocas, pessoas cuidando da vida alheia entre outras coisas a vida em cidade muito pequena as vezes é cansativa.

      Excluir
    5. Não existe um turismo rural profissional por aqui, mas a galera gosta de áreas rurais. Em especial virou moda a construção de "chácaras".

      O romantismo sobre o interior é falso, tem muitos problemas assim como a cidade grande e não é como parece na proposta do Posto Ipiranga.

      Sobre os empregos serem escassos? Sim, são escassos. A maioria das cidades tem um grande empregador e a prefeitura.

      É cheio de fofoca e gente cuidando da sua vida? É.

      Tem poucas oportunidade de desenvolvimento? Sim. Até o acesso a educação é difícil.

      Abraços,
      Pi.

      Excluir
    6. cidade peque na é ruim demais em relação a fofoca, se envolvendo com mulher errado que te queima e todo mundo cai na lábia da piranha, cidade pequena tem os pequenos quarteis mafias de comercio se um empresario nao vai com sua cara ou qualquer outra desavença ai fudeo, o povo anda na rua de carro procurando não sei oque kkk, o resto e como voces disseram se reúnem em bares posto estacionam o carro som e cu de cachaça todo final de semana a mesma coisa, tem os playboy filhinhos dos picas da cidade esses são os piores e inconsequentes, e repito cidade pequena é horrível para quem quer crescer na vida.

      Excluir
    7. ALerion, sua visão é bem radical sobre o tema, mas muito do que você falou realmente existe, mas não tão disseminado.

      Abraços,
      Pi

      Excluir
  3. Hahaha, muito bom PI!

    Bom, nessa eu já teria me fodido, pois não tenho carro e nem pretendo ter..rs

    Abraço!
    https://engenheirotardio.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente é a realidade.

      Eu mesmo tenho carro, eu gostaria de ter? Não. Mas é IMPOSSÍVEL não ter. É estritamente necessário.

      Se eu morasse em uma cidade de uns +500k habitantes talvez eu abrisse mão de ter um carro, mas aqui no interior é outra história.

      Abraços,
      Pi.

      Excluir
  4. Muito bom, PI! Eu quase pensei que já era sexta-feira quando li a introdução do seu post.
    Eu já fui em festas temáticas em algumas cidades e gostei muito - da região Sul já fui à Oktoberfest de Blumenau e à Zommerfest de Itajaí, gostei muito.
    Eu ainda quero viver em uma cidade menor que a minha, e imagino que meu lazer será esse aí mesmo, comparecer às festas regionais, às quermesses, etc. E fazer trilha, nadar no rio, etc.
    Eu só teria que arranjar um carro, pois sou do mesmo pensamento do Engenheiro Tardio... não tenho e não pretendo ter, mas se fosse para morar numa cidadezinha, eu abriria uma exceção.
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mago, realmente do jeito que escrevi não ficou tão 'atemporal' para ser lido em qualquer dia de semana kkkkk', esse post já estava programado faz alguns dias, mas no dia que eu escrevi ele não era uma sexta-feira, pelo contrário, acho que era um domingo.

      -
      As festas tradicionais são bem legais, a Oktoberfest é uma festa temática, mas não é nem de longe o estilo de festa do interior, até pela proporção do evento e dos legítimos interesses comerciais.

      Se você gosta de fazer turismo rural é uma boa o interior, você pode tranquilamente fazer aos finais de semana sem precisar de férias ou um feriadão prolongado, tem sempre muito lugar pra conhecer (ainda que sempre no mesmo estilo).

      Sobre ter um carro, se é cidadezinha do interior não tem jeito. É obrigatório. Sem transporte público e sem App de Transportes não tem outro jeito. As cidades pequenas sempre dependem para vários serviços e atividades de uma cidade polo, e mesmo a oferta de ônibus intermunicipais é muito limitada em horários e dias, em algumas cidades daqui da região se quer existe essa opção.

      Abraços,
      Pi.

      Excluir
    2. Onde eu moro eu me viro muito bem sem carro, mas concordo que quando eu tiver um sítio no interior (meu sonho...) Eu vou precisar, nem que seja para ir ao mercado.

      Excluir
    3. Mago, pois é e duvido muito que no futuro a situação mude e o carro seja desnecessário no interior.

      Abraços,
      Pi

      Excluir
  5. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  8. ótimo relato
    já morei no interior, mas a cidade era ruim demais
    tem cidade que vale a pena e tem uma qualidade de vida superior ao Hell de Janeiro

    abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda não conheço o Rio de Janeiro, mas confesso que não em parece nem de longe um lugar agradável para se morar.

      O interiorzão tem suas vantagens, talvez eu tenha deixado transparecer no post que é um paraíso, mas longe disso, é cheio de problemas.

      Abraços,
      Pi.

      Excluir
  9. kkkkkkkkkkk perfeito relato! Já morei no interior e isso foi uma nostalgia kkk

    Meu melhor rolê era fica na praça da cidade tomando sorvete ou ir pras cachoeiras e trilhas xD

    Abçs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente por aqui o rolê na praça foi abolido, quando eu era criança aos finais de semana a praça tinha bastante gente andando, pessoas sentadas, gente tomando sorvete e comendo nos carrinhos de lanches, além do parquinho, hoje em dia? É até perigoso ir lá aos FDS.

      Abraços,
      PI.

      Excluir
  10. Não tem vida melhor do que em cidade pequena/media.
    Ninguem no mundo diz: "AH... quando eu aposentar, eu vou comprar um apartamento em São Paulo e viver la!"
    Sempre dizem: "quando eu aposentar, vou para uma cidade de praia" "(...) vou comprar um sitiozinho".

    que digam "ahhh... mas cidade de interior nao tem nada para fazer!!" BULLSHIT! BULLSHIT! Sabe oq um cidadão pobre fará em São Paulo em um fim de semana?! NADA!! Restaurantes com estrelas são caros e ruins! Puro marketing!
    não é a toa que feriado todo mundo foge de são paulo.

    Claro que cidade pequena tem seus problemas... mas o importante é SAÚDE E SUA VIDA!! E isso vc não terá em cidade grande!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acreditar que todo mundo tem qualidade de vida, tanto na vida social, emocional ou física em cidade pequena também é BULLSHIT.
      Tem gente que vive bem cidade grande e gente que vive mal em cidade pequena, não é tão simples assim essa conta.

      Excluir
    2. O argumento do anon foi devastador. Realmente, ninguém pensa "Vou me aposentar e ir morar em São Paulo!" Todo mundo quer se aposentar e ir para um lugar mais pacato e com mais verde.
      Sinceramente eu acredito que em algumas décadas possamos vir a ter um êxodo urbano, se as coisas continuarem no rumo atual (crime organizado, encarecimento generalizado, desemprego, etc.)

      Excluir
    3. São Paulo não é única cidade grande do Brasil Mago, há várias outras opções, inclusive de cidades médias.

      Excluir
    4. Numa situação de desemprego generalizado, boa parte dos locais menores também vão sofrer, mudar a pobreza de lugar não resolve, embora concorde que possa vir a ocorrer um semi exôdo urbano no futuro.
      Mas já há e haverá o aumento proporcional do preço das terras e dos imóveis em muitas localidades interioranas.
      As principais vítimas serão as popualações pobres e nativas dessas regiões que não acompanharão a especulação imobiliária.

      Excluir
    5. Anon das 21:53 - eu usei São Paulo como metonímia, ou seja, entenda "metrópole" e não literalmente São Paulo.
      Anon das 22:00 - isso é verdade, e digo mais: a especulação imobiliária, a meu ver, já causou muito mais problemas no mundo do que seus eventuais benefícios. Mas pelo menos na zona rural há a chance de plantar comida, criar galinhas, ter um poço, etc. E com isso ser um pouco menos dependente de emprego para se ter as condições mínimas para a vida. Eu sei que a agricultura de subsistência é difícil, mas o meu ponto é que morando numa cidade grande a pessoa muitas vezes não tem nem a chance de fazer essas coisas, ela se torna 100% dependente de supermercados e da companhia de água local (Tem cidade em que é proibido abrir poço, por pressão do monopólio da companhia de água, para se ter uma ideia)

      Excluir
    6. Sim Mago, quem mora na zona rural pode ao menos produzir parte de sua alimentação e captar água, desde que a área tenha água potável. Em comparação com a vida urbana essa é uma vantagem.
      Mas veja, aí é vida rural mesmo, morar num sítio, fazenda ou chácara, isso já é diferente de morar em cidade pequena.
      Nesse sentido morar em cidade pequena também é similar a morar nas grandes. Pelo menos na região onde moro, as casas são construídas em terrenos cada vez menores, muitas já são parede com parede e não são baratas, cada vez mais próximo ao estilo de centros maiores, com pouca terra disponível.
      Casas grandes em grandes terrenos, mais comuns no passado, onde por exemplo era muito comum no interior de SP pessoas de classe média comum e assalariados morarem em casas grandes, com terrenos grandes e bons quintais.
      Vá hoje tentar comprar um casa grande com um grande terreno sendo assalariado e veja se é possível.
      Cidade com 30K/hab, já tem valorização grande de imóveis, boas casas são caras e não acessíveis.
      E mesmo em cidades menores dependendo do local ocorre a mesma coisa.

      Excluir
    7. Que triste. Especulação imobiliária é uma praga mesmo.
      Então o negócio é morar num sítio/chácara mesmo, e tentar ter um trabalho que se possa trabalhar on line.

      Excluir
    8. Mago você tem razão ao mencionar que as pessoas querem se aposentar e sair das grandes cidades para o interior.

      Sobre o desemprego no interior ele é um problema diferente, a mobilidade do mercado de trabalho é muito limitada, muitas vezes as cidades não tem mais do que 1 ou 2 empregadores e se você perder o emprego ou vai empreender ou tem que se mudar.

      Abraços,
      Pi

      Excluir
    9. Sim, imagino que para uma pessoa sem habilidades técnicas que permitam se virar como autônomo ou sem aquele tino e capital para iniciar um negócio, o desemprego meio que "é o fim". Isso é mesmo uma grande fragilidade da vida em uma cidade pequena.
      E o fato de estarem cobrando caro por casas pequenas em cidades de 30k habitantes mostra uma grande distorção do mercado imobiliário, que ocorre em todo o BR. Havia um site chamado bolha Brasil que era dedicado a comparar preços de imóveis brasileiros com imóveis nos EUA e mostrava os absurdos de nosso mercado imobiliário. Me lembro bem de uma casa em frangalhos, toda velha e ferrada em algum bairro considerado nobre no Nordeste que custava a mesma coisa que uma "mansão" novinha em folha nos EUA. Me lembro também de ter visto uma cobertura em um bairro nobre do RJ custando 32 milhões de reais, mais do que muitas mansões em Bel Air, ou seja, superestimar preços de imóveis está no DNA do brasileiro, infelizmente.

      Excluir
    10. Mago o problema imobiliário na verdade é global, vários países estão sofrendo nos últimos 20 anos com uma bolha de imóveis.
      O Reino Unido, Suíça, Austrália e Nova Zelândia tem problemas sérios nesse sentido.
      Muitos ficaram esperançosos que a explosão da bolha em 2008 fosse um ponto de virada, mas logo tudo voltou a ser como era antes da crise.
      Não sei dizer se o Brasil tem perspectivas de melhoria, a maioria desses países também contam suas bolhas imobiliárias e já passaram da fase de boom demográfico, o que deveria segurar a demanda.

      Abraços,
      Pi

      Excluir
  11. Gostei muito do post, Poupador! Alguns comentários são muito extremistas e não me parece que você tenha vendido um sonho.

    Aí não tem teatro, cinema, shopping, restaurantes e bares variados, shows de grande porte (certamente não de artista internacional), talvez você seja refém de uma ou duas opções para vários serviços (internet banda larga, tv a cabo, dentre outros). Por outro lado, acredito que aí também não tenha tráfico de drogas intenso, expressiva violência, trânsito, poluição, barulho incessante de vizinhos (até porque devem ter mais casas que edifícios).

    Arrisco dizer que a maioria da comunidade FIRE é solteira, sem filhos e abaixo de 35 anos, por isso que compreendo as "preocupações" de muitos em faturar sexo (variado), ser alvo de fofocas e curtir algo diferente de pescar no brejo, mas a vida é muito além disso.

    Cada um tem que procurar se conhecer e definir o que é melhor para si. Todos temos acesso a informações preciosas na internet, facilidade de deslocamento e podemos conhecer bastante coisa do Brasilzão e do mundo, é só definirmos as prioridades.

    Já morei em capital pequena, em capital grande, em cidade média do interior Sudeste (~300k hab) e já conheci mais de 100 cidades, de povoados a megalópoles, no Brasil e no mundo e seu texto só reforçou meu desejo de residir em um lugar cada vez mais pacato.

    Sobre fofoca: com o novo mundo do home office para muitos, creio que será cada vez mais fácil um FIRE passar despercebido. Só criar uma história qualquer que trabalha de casa.

    Sobre carro: sem dúvidas é essencial ter veículo em cidades pequenas e médias para quem precisa de lazer pra ser feliz.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu fui o anônimo dos primeiros comentários.
      Não sei você considerou extremista, eu considero realista. Há vantagens em micro cidades e também desvantagens é isso que eu quis mostrar e quebrar um pouco essa ideia romântica de cidadezinha.
      Um dos motivos de cidades grandes serem problemáticas é justamente o distanciamento e indiferença de parte de sua própria população.

      Poluição é maior diferença, o resto é relativo, uma rua central numa cidade pequena pode ser mais barulhenta que uma rua secundária numa cidade maior. Morei num cidade grande e só pra dar um exemplo, tem ruas próximas ao centro que são paradas até demais.
      Vizinho barulhento pode ter em qualquer lugar, não é porque se mora em casa que o barulho de um vizinho será anulado, principalmente barulho de som alto durante a noite.
      Drogas chegaram a todo tipo de cidade, inclusive as micro. Alcoolismo sempre teve, inclusive na zona rural.
      Tanto que roubos em zona rural não são raridade, inclusive tive vítima na família.

      Tudo isso que digo, digo porque conheço, não é achismo, já morei em cidade grande e conheço as duas realidades. Também conheço outros Estados, são ainda não saí do Brasil.
      Tudo depende do local onde se mora e da sua rotina e estilo de vida, além do fator cidade.
      Tenho vida pacata também, não sou, nem nunca fui da noite ou de bebedeiras, o que fiz no primeiro comentário foi uma crítica, mas estou errado?
      Não sou contra cidade pequena ou querer morarem cidade pequena, até porque moro em uma, mas sou totalmente a favor de pensar, ver se a realidade é realmente que se apresenta num primeiro momento.
      Peço desculpas ao PI por me alongar nos meus comentário ocupando o blog, mas achei interessante trazer um contraponto realista para a discussão.

      Excluir
    2. Aposente Cedo,

      Obrigado pela participação. A temática do sexo é complicada, realmente em cidade é muito do que falado pelo pessoal logo mais acima, todo mundo conhece todo mundo, então uma guria pode te queimar fácil na cidade hahaha, o carro é o motel, no geral galera vai pra alguma estrada rural meio "morta" e transa por lá mesmo.

      A fofoca é um problema sério, não acho que uma história de home office é o suficiente, por aqui as pessoas gostam de ter o máximo de detalhes possíveis da sua vida e não conseguir esses detalhes faz elas imaginarem coisas sobre você e saem falando mesmo, não tem nem aí se é verdade ou não.

      Anon,

      Seu ponto sobre vizinhança barulhenta é verídico, no interior tem gente tem vizinhos barulhentos, outros não. Aqui na minha cidade não existem prédios e mesmo com terrenos maiores tem horas que o vizinho resolve fazer algazarras e você escuta.

      Não peça desculpas, seus comentários foram de grande qualidade e agregaram muito.

      Abraço,
      Pi

      Excluir
  12. Eu nasci e odeio morar no interior, vivo no interior do Ceará e não existe nenhuma opção de lazer se você não curte álcool, forró ou sofrência. Como "lazer" eu ia à missa, e só. O final de semana é muito monótono por isso, é como falaram aí, a única diversão por aqui parece ser entupir o rêgo de álcool. Já reparei que depois de uma certa idade a maioria daqui (principalmente os homens) fica com uma cara inchada de tanto beber.

    Não tem um teatro, um cinema, um evento esportivo, ou outro algum evento de vez em quando ou show musical de outros gêneros (às vezes tem a tal vaquejada, mas, mais uma vez, só álcool e música de qualidade muito duvidosa para estourar seus tímpanos).

    Sem falar na fofoca, todo mundo sabe tudo sobre sua vida, sem falar que o pessoal geralmente é muito ignorante, simplicidade e hospitalidade é um mito grande, pelo menos na minha cidade.

    Ainda tem o fantasma do coronelismo, você não cresce pessoalmente aqui sem fazer algum acordo escuso, tem várias histórias realmente cabeludas. De 4 em 4 anos todo mundo fica se matando por causa de dois grupos políticos disputando a prefeitura. Os "empresários" daqui quase nenhum cresceu de forma inteiramente honesta, sempre tem uma história cabeluda por trás disso. Ter um empreguinho aqui e não votar ou fazer campanha pro candidato do patrão é demissão na certa. Empreendedorismo também é complicado, por causa das práticas quase cartel que fazem por aqui.

    Para mim, a única vantagem de uma cidade pequena seria o custo de vida mais baixo, mas o resto, eu jamais viveria em uma.

    Muita gente também se engana com a segurança em cidade pequena, vai pensando que pode andar com celular na mão em determinadas ruas ou horários por aqui...Assalto de moto também é muito comum por aqui.

    Por isso, eu prefiro a impessoalidade e a versatilidade da cidade grande. Queria muito que no Brasil fosse como nos EUA, onde as pessoas moram naqueles subúrbios tranquilos, mas estão em um raio curto de um grande centro urbano. Seria perfeito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo,

      Eu não conheço a realidade do Nordeste. No meu caso é uma cidade do interior do Sul do Brasil.

      Mas sobre a questão política é bem isso, basicamente tem dois grupos que disputam o poder de quatro em quatro anos, ideologicamente não tem diferença por aqui a eleição é personalista.

      Eu particularmente valorizo os bons aspectos da cidade pequena, mas eu tenho como objetivo conseguir me mudar para uma cidade média 200-500k de habitantes, acho que vou conseguir ter acesso a melhores opções de lazer, serviços e ao mesmo um pouco mais de privacidade na vida pessoal.

      Abraços,
      Pi.

      Excluir
  13. E outra, a vibe de uma cidade pequena do Sul/Sudeste e de certa forma Centro-Oeste é totalmente diferente de uma do Nordeste/Norte.

    ResponderExcluir
  14. Anon, eu acho muito saudável discutir de forma inteligente, como você está fazendo. Hoje em dia qualquer opinião diferente é considerada ofensa e sua inteligência ficou demonstrada em levar numa boa e trazer mais argumentos.

    Em alguns posts o Poupador já declou morar na região Sul e, sabendo disso, eu li o post já com essa premissa. Quando você falou que mora no interior do Nordeste, tudo ficou mais claro.

    Assim como as capitais, cidades menores das diferentes regioes desse nosso Brasil destoam muito entre si no quesito lazer, segurança e qualidade do servico público. Nos EUA não é tão diferente: uma cidade interiorana da Califórnia é bem diferente de uma de Wisconsin. Na Europa ocidental essa discrepância diminui bem.

    Não tenho dúvidas que para alguém sem berço de ouro estudar, crescer, desenvolver e criar algo significativo, incluindo patrimônio, é bem mais difícil numa cidade pequena que numa metrópole, porém, novamente, minha leitura foi com a premissa de uma vida FIRE no interior.

    Quando você não tem que se preocupar com a política local, com emprego e trabalho próprio, ou seja, quando você já está aposentado, creio sim que uma cidade pequena de qualidade seja bem melhor que uma grande, ao menos para meu gosto.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sou o aon 21:50 e também moro no Sul, assim como o PI. O colega Cearense mostra que não estou só no meu ponto de vista e que as diferenças nesse caso específico parecem não ser tão grandes.
      Aliás outros mostraram opiniões similares a minha, mas respeito quem pensa diferente e sei que não existem regras para essas escolhas.

      Pra quem está em idade de trabalho penso semelhante ao PI, cidades de 100 a 500K/hab tem ao meu ver melhor custo benefício, sou funcionário público e isso faz em partes ter mais motivos pra continuar onde estou (ao menos por enquanto).

      Boa sorte em seus objetivos.

      Excluir
    2. Mesmo aposentado eu jamais moraria em uma cidade pequena do interior do Nordeste ou do Norte por opção.

      Excluir
    3. Anon de 21:31h, concordo que, em idade de trabalho, uma cidade média/grande tem custo X benefício melhor que uma pequena, mas para uma vida FIRE ou de trabalho remoto garantido, acho que uma cidade pequena de qualidade ganha no balanço.

      Excluir
  15. Sem querer ser bairrista, mas na cidade do interior do Sul parece existir melhor qualidade de vida do que na do Nordeste, pelo que o comentário acima falou. Nas cidades do interior do Sul tem os pesque-pague, balneários, cachoeiras, trilhas, centros de tradição gaúcha, sorveterias, espetinhos. Tem um leque de opções e penso que não seja imprescindível beber pra se divertir. Mas tudo depende do meio em que se vive. Claro que ter uma Saveiro com som, comprar bebida e ir para o balneário facilita para conviver com meninas jovens da cabeça oca que usam shortinho jeans curto e que descem até o chão. Mas se a vibe do cara for pescar, jogar bola, andar de bike, também consegue opção de lazer. Na verdade depende mais das habilidades sociais do que da cidade. A pessoa que quer, dá um jeito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é verdade!

      O ato de beber vai de pessoa para pessoa, eu mesmo não bebo álcool. Claro, a maioria das pessoas aqui bebem, na minha faixa etária é uns 95% pelo menos.

      Eu não conheço o Nordeste, mas acho que sim as cidades do sul oferecem mais qualidade de vida, fruto da desigualdade social do nosso país. Ainda assim, não é aquela utopia pintada por INCELs de São Paulo (SP) que imaginam pequenos povoados escondidos em vales nevados da Escandinávia.

      Abraços,
      Pi

      Excluir
    2. Aqui é o anônimo cearense.

      Eu nunca saí do meu estado, mas pelo que pesquiso e vejo, a qualidade de vida em uma cidade da região Sul é infinitamente melhor do que a daqui. Não é perfeito, como o PI falou, pois é Brasil, mas não é tão tóxico e limitante de viver como aqui.Tem seca, calor infernal e desemprego, não tem nada que dê emprego, só o comércio sustentado praticamente só pelos aposentados e beneficiários do bolsa família, além, claro, da elitezinha sanguessuga descendente dos coronéis que sempre está brigando entre si para a prefeitura. Até pra trabalhar de entregador por aqui é praticamente na base do voto. Não falo mais coisa porque eu acho que não seria seguro. Só se dá bem aqui quem aceita se corromper num nível hard.

      Só discordo da questão do lazer cara, não é assim tão fácil "quer, dá um jeito". Não existe muita diversidade cultural por aqui, e as que tem não são interessantes. Tem quadrilhas juninas, show de forró e vaquejadas, mas essas coisas não me interessam.

      Eu sinceramente queria ter nascido no Sul, de preferência em Santa Catarina, até tenho vontade de um dia morar por essas bandas quando estiver bem de vida, se não sair do Brasil, que é meu sonho. Mas acho que não ia dar certo, eu não sou branco, certamente iria sofrer bastante preconceito por ser do Nordeste e pardo, não quero ser mimizento mas não adianta negar a realidade, maior defeito da região Sul certamente é a xenofobia, infelizmente.

      Excluir
    3. Eu moro no interior do Sul e aqui é limitado, já conheci partes do interior do Nordeste, aqui pode ser melhor dependendo da região, comparando cidade pequena com cidade pequena é claro.

      Mas é limitado e também tem desigualdades regionais dentro do Sul do Brasil. Exemplo: Serra Gaúcha X Sul do Rio Grande do Sul ou região do Pampa.

      Excluir
    4. Cearense, eu moro no sul e posso te dizer que aqui também é uma merda. Não é tão merda quanto outros lugares, mas ainda assim é merda, pois ainda é Brasil. Essa visão romântica que muitos tem do Sul é tipo a visão que os iludidos tem do interior.

      Excluir
  16. Cara,
    Acho que as opções de lazer que descreveu são ótimas, claroque as grandes cidades sempre irão oferecer mais opções. No entanto, considerando que existe abundancia de natureza, preciso viver isso.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No interior de verdade existe bastante opção voltada para a natureza, mas é interior mesmo, o que não falta é gente que vê cidade de 300k como "cidadezinha do interior".

      Abraços,
      Pi

      Excluir
  17. Eu já morei em cidades pequenas e cidades grandes, nos estados de SP, MG, SC e PR. Na minha visão, a cidade pequena (menos de 100 mil habitantes) é mil vezes pior. Não tem oportunidades de trabalho, não há empresas grandes. Quando existe, é uma usina ou frigorífico em que o cara entra e fica se humilhando com medo de ser mandado embora da única empresa da cidade. O povo é mesquinho e limitado. Ninguém evolui mentalmente e a vida é sempre a mesma rotina desesperadora. Isso que vc falou dos caipiras irem para postos de gasolina nos finais de semana é verdade. O cara fica lá encostado no carro igual bobo vendo o "movimento". Sempre as mesmas pessoas. Nada muda. E por causa disso, todo mundo sabe da vida de todo mundo. Fofoca para todos os lados. Geralmente nas cidades pequenas as pessoas são mais preconceituosas. Cidade pequena, mente pequena, vida pequena. Em cidades grandes há mil problemas tb, como poluição, violência etc. Porém, eu sempre me senti melhor nas cidades grandes, sempre me senti vivo, livre, motivado. Sempre há algo novo, vc encontra a sua tribo, os lugares que vc gosta de ir, gente diferente, enfim, é um mundo sem fim. Hoje eu moro em uma cidade média (400 mil habitantes) que tem muitas opções de lazer, muitos universitários, muita gente bonita. Mas, no fundo eu ainda gostaria de voltar a morar em uma capital pelas razões expostas. Cidade pequena nem pensar! Talvez quando eu for velho eu mude de opinião, mas por enquanto eu quero distância de cidades com menos de 100 habitantes.

    ResponderExcluir