terça-feira, 1 de junho de 2021

Fechamento Maio/2021: R$ 208.986,68 (-0,37%)

As notícias nessa semana voltam para o tema da Reforma Tributária, aparentemente dessa vez o jogo político parece estar encontrando um caminho para passar a reforma, claro, após finalmente o ministro descobrir que esse negócio de nova CPMF não vai rolar e parar de ficar abrindo a boca defendendo esse absurdo indefensável.

Eu pessoalmente não sou contrário a discussão de tributação de dividendos, o que lamento é que mais uma vez isso é feito prometendo coisas que não vão ser cumpridas, como uma melhoria dos empregos e do investimento em geral. Mas discutir a aprovação da matéria está fora da minha alçada, pois quem sou eu comparado com deputados, senadores e políticos? Qual a influência de uma postagem desse blog nessa discussão? Realisticamente falando todos nós sabemos que nenhuma.

O que está um pouco mais próximo do meu controle é como essa medida vai impactar os meus investimentos no curto-médio prazo e como devo gerir minha carteira até a derradeira aprovação da reforma. Dentre os vários pontos que ficaram sem ser esclarecidos está a tributação dos Fundos Imobiliários, tecnicamente falando é um bizarrice tributar os proventos, tendo em conta a natureza de constituição dos FII's, o ministro entretanto não deixou claro, e sinto que esse silêncio significa que os FII's estão no alvo. O meu medo não é tanto perder 20% de DY nos fundos, mas principalmente entender se o mercado vai descontar o valor das cotas para manter um Yield elevado e se haverá bitributação (o que me parece o mais provável) em fundos que investem em CRIs, CRAs e nos FOFs em geral. 

O que eu devo fazer? Continuo investindo e ignoro essas medidas, imaginando que o mercado já precifica essa mudança? Suspendo meus investimentos em ações pagadoras de dividendos e Fundos Imobiliários na esperança de que o mercado passe por um ajuste de preços desses ativos? São questões que ainda não tenho a reposta.

Fechamento do mês

O mês terminou com rentabilidade negativa de -0,37%, infelizmente minha carteira jogou contra o CDI e contra o Ibovespa. As minhas ações de forma geral não conseguiram acompanhar a valorização do Ibovespa, mas o grande responsável pelo fraco desempenho foram os dois ETFs da carteira.

O desempenho fraco do mês de Maio acabou correndo toda a rentabilidade acumulada de 2021, perdendo para o CDI acumulado do ano, isso sem falar na inflação, mas é assim mesmo, dias de luta...


O mês foi de recorde de proventos e com ótimos motivos para comemorar, ao todo recebi R$ 486,93. O maior ativo responsável foi a minha queridinha Taesa do setor de transmissão de energia elétrica. Do ponto de vista dos Fundos Imobiliários praticamente ficaram estáveis e continuam fornecendo uma boa base de proventos. 

Aportes: Esse mês fui frugal ao extremo, pois sei que é praticamente a última oportunidade de gastos baixos desse ano e tendo em vista gastos acima do esperado que devo ter nesse mês de junho e no próximo mês, decidi que era importante tentar aportar o máximo em Maio, a própria pandemia ajudou garantindo uma rotina trabalho-casa-trabalho. 

Acabei fechando o mês com R$ 5.452,54 aportados, no último ano eu tinha conseguido aportar mais em Maio, entretanto às receitas do ano passado eram não-recorrentes. 

Acabei aportando em IVVB11, pois considero que é um excelente investimento de longo e a queda do dólar durante o mês ajudou a criar uma oportunidade de compra com desconto. Também aportei um pouquinho em MALL11 e VINO11, pensando no longo prazo pós-pandemia. No setor de ações comprei Sanepar, Engie Brasil e BB Seguridade, às três eu comprei por acreditar que ofereceram um bom preço de entrada para mim.

Ações: A AES Brasil continua caindo (parece o City, cheio de derrotas depois de resolver mudar de uniforme). O Bradesco, mostrou um bom trimestre, mas acabei não comprando pois já estava alto demais quando eu resolvi fazer os aportes do mês. A Taesa minha queridinha entregou ótimos dividendos durante o mês e acredito que é um ótimo player para a crise energética que se aproxima. A Itaúsa parece finalmente sair do atoleiro de 10,00-10,40, talvez pela aproximação da destrava de valor da XP. A Suzano e Gerdau seguem se beneficiando do boom das commodities, porém prefiro manter ela por enquanto fora do radar de novos aportes. A Cyrela é a última ação que quero destacar, apesar de ser uma boa empresa e estar com um preço atrativo as notícias de uma disparada do preço do aço podem impactar a empresa e resolvi deixar de fora dos aportes para entender melhor o que vai acontecer.

Fundos Imobiliários: A discussão sobre a tributação de dividendos pesou na minha decisão de diminuir o ritmo de aportes em FIIs, em especial nos fundos de fundos e nos fundos de papel. De concreto acompanhei apenas CPTS11 que divulgou uma nova emissão, acabei optando por não participar.

ETF's: É daqui a responsabilidade da queda da carteira. O HASH11 despencou e mesmo que ele represente apenas 0,5% da carteira o tamanho do tombo foi muito expressivo, acho que o mercado de cryptomoedas é complicado e extremamente volátil, porém é tão inexpressivo na carteira que vou preferir manter como uma "pimentinha" em uma carteira tão conservadora como a minha. O IVVB11 também registrou uma queda mensal (o que não é muito comum), puxado pelo dólar e aprovetei para aportar mias um pouco.

Renda Fixa: Uma calmaria danada, não fiz novos aportes e devo fazer uma reorganização somente em meados de Setembro quando vence uma LCI.

Vida profissional: Foi muito estressante, mas é o que tem para hoje.

Vida pessoal: Nada relevante. Acabei não fazendo a postagem do meio do mês por ter ficado sem nenhuma ideia.

AVISO: Esse blog é apenas um relato de experiências e opiniões pessoais, trata-se da visão do autor e aplicada apenas a singular realidade social, psicológica e econômica em que ele está inserido. Tendo isso em mente o leitor deve desconsiderar qualquer postagem ou comentário desse blog para a tomada de decisão sobre investimentos. Se você leitor deseja orientação de investimentos, procure profissionais qualificados.

22 comentários:

  1. Olá Poupador,

    Concordo com você: "Dias de luta e dias de glória". Ainda estamos em estado de "transe", com as pessoas ensaiando uma retomada as atividades, porem tudo muito incerto.

    Isso acaba refletindo claramente na economia. Temos de continuar nossos investimentos financeiros, profissional e pessoal. Assim estaremos bem preparado para quando essa situação passar e ela vai passar.

    Abraços,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Voando Abaixo,

      Concordo com você. É por isso que sigo investindo, pois independente de quando isso vai passar ou não é bem melhor já ir guardando uma graninha agora do que esperar tudo se resolver para guardar.

      Abraços,
      Pi

      Excluir
  2. Olá, PI.

    Vamos ver o que vai acontecer com essas reformas. No Brasil é muito difícil fazer reformas. A da previdência foi uma bosta. Tem a administrativa que acho que nem vai passar. O negócio é a gente focar em nossos trabalhos e deixar governo para lá. Pode ser de esquerda e de direita que o Brasil não anda. Os políticos fazem o que é melhor para eles e não para o povo.

    O Aporte foi muito bom.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cowboy,

      A minha preocupação é como isso vai impactar a minha carteira. No geral sou bem indiferente a pautas que não me afetam.

      Abraços,
      Pi

      Excluir
  3. tem que investir e pronto.
    Ficar pensando nisso é bobagem.
    Pense bem. Você tem 1000 cotas de fiis sem tributação. Amanhã passam a ser tributados. E daí? Vai vender? Vai vender para comprar o que exatamente?
    Eu compro fiis para ter renda mensal. Tributando ou não, continuarei comprando do mesmo jeito, já que minha meta com eles é renda mensal.

    abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adpenac,

      Cara você tem toda a razão kkkkkk porra, o que você falou é o óbvio e o trouxão aqui não percebeu.

      Valeu!

      Abraços,
      Pi.

      Excluir
  4. Grande, PI!

    Valeu pelo post e pelo belo research que faz! E IVVB continua sendo minha maior pedida, quero aumenta-lo ainda mais também, belos aportes!

    Abração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Research? KKKKKKK quem dera!

      Eu também tô focando em IVVB11 para colocar todo mês uma boa parcela dos aportes nele, hoje ele tá segurando a carteira, mas sei é quase um contraponto para a carteira brasileira e um funciona de proteção para o outro.

      Abraços,
      Pi

      Excluir
  5. Concordo com o adpenac. Pra mim o foco dos FIIs é a renda passiva. Se começarem a tributar, paciência. Vou ter que comprar mais para atingir o patamar que eu quero, mas isso (estar sujeito ai governo) faz parte do jogo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mago,

      Vocês dois estão completamente certos!

      Obrigado.

      Abraços,
      Pi

      Excluir
  6. Olá Pi! Gostei da forma como você traz a notícia do dia pra seus posts. E tbm dos comentários que vc fez sobre FIIs lá no blog do Mago. Mas, que pena isso dos dividendos serem tributados hein?! Logo agora que eu entrei no jogo? Rsss. Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Éllen,

      Obrigado pelo elogio!

      A tributação de dividendos é só um dos problemas que tenho visto na indústria de FIIs ultimamente, em breve eu vou escrever sobre outras coisas que não gosto.

      Abraços,
      Pi

      Excluir
  7. Você corre o risco do ativo subir muito, antes de ele ter qualquer correção em virtude da aprovação da tributação dos dividendos.

    abrç

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo é uma questão de riscos, porém os FIIs ultimamente andam me decepcionando com emissões sem fim e com qualidade duvidosa.

      Abraços,
      Pi.

      Excluir
  8. Fala, Poupador!

    Se eu falar que não me preocupo com uma eventual tributação dos dividendos, estarei mentindo. No entanto, assim como você nem vou sofrer por antecedência, o jeito é manter o plano de investimentos, tentar comprar sempre barato e no seu caso (que possui um aporte gordo) reservar uma quantia para formar uma reserva de oportunidades (tanto para o caso de tributação quanto eleições ano que vem).

    Abraço e vamo que vamo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colheita, você segue sempre pertinente em seus comentários.

      O comprar barato em ações não é tanto o problema, já nos FIIs tá complicado, os gestores parecem cada vez mais interessados em fazer novas emissões e não em gerar valor para o cotista.

      Abraços,
      Pi

      Excluir
  9. Fala PI! Continue focando na sua carteira, notícia demais deixa a gente bitolado, ainda mais neste querido país em que nada acontece feijoada. Um abraço e não se churrasque!

    ResponderExcluir
  10. Poupador, muito boa a sua evolução no mês.

    Eu não preocupo com uma eventual tributação de dividendos, pois no longo prazo, os bons FIIs e boas empresas continuarão gerando valor para nós acionistas.

    Sucesso,

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. João, obrigado!

      Que seja assim, o problema é encontrar os bons FIIs e ações que tenham uma gestão preocupada em entregar valor no longo prazo e não apenas ganância de curto prazo.

      Abraços,
      Pi.

      Excluir
  11. Falaê PI!

    Aporte monstro o seu, parabéns. Meus aportes magros têm me desmotivsdo bastante ultimamente..

    Quanto às criptos, eu aproveitei essa queda e comprei mais um pouquinho de bitcoin, mas como sou péssimo de timing sempre acabo pegando bem longe do fundo, paciência.

    Quanto aos FII's, realmente essa questão de tributar esses ativos é só mais uma prova de como a Banânia é um país terrível para buscar a IF, infelizmente.

    Abraço!
    https://engenheirotardio.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Engenheiro,

      Sobre meus aportes eu tive que fazer um esforço descomunal em Maio para conseguir esse patamar, a tendência é aportar pouco em Junho e quase nada (ou nada) em Julho.

      Estou apenas observando o mercado de cripto, não me animo em comprar direto e o HASH11 me parecia uma ótima oportunidade, por enquanto vou priorizar outros segmentos, mas pretendo voltar no futuro a aportar nele.

      Sobre FII's estou refletindo ainda sobre como proceder nos próximos meses diante da possibilidade de tributação, estou pensando em focar em fundos de tijolos, pois se houver bitributação os Fundos de Papel e FoFs podem sofrer um realinhamento de preços.

      Abraços,
      Pi

      Excluir